Mais de três mil médicos estão a ser especializados

Cerca de três mil médicos vão beneficiar de pós-graduação em 40 especializações, no âmbito de um programa de formação contínua que o Ministério da Saúde está a levar a cabo, para a melhoria nos cuidados de assistência à população, anunciou, quinta-feira, em Luanda, a titular do sector.

Sílvia Lutucuta, que falava durante do V Congresso de Cardiologia e Hipertensão, que encerra hoje, avançou que o referido programa de formação contínua de médicos vai ser orientado pelo Conselho Nacional de Especialização pós-Graduada em Ciências de Saúde, envolvendo outros sectores, mas com base no plano de necessidades dos recursos humanos.

A ministra sublinhou ainda que, actualmente, o país conta com 120 cardiologistas e, em breve, juntam-se a esses outros 30, que se encontram a fazer especialização dentro e fora do país.

Sílvia Lutucuta informou que, ainda neste ano, Angola terá uma grande surpresa no que concerne à referência, diagnóstico e tratamento das doenças cardíacas e pulmonares, com o investimento que o Executivo está a fazer, por ter noção de que as doenças cardiovasculares constituem uma preocupação para o sector, dado ao aumento de casos nos hospitais.

A governante disse ser importante que se comece a olhar para as doenças crónicas não transmissíveis, entre as quais, as cardiovasculares, como um grande problema de saúde pública. “Por isso, os nossos profissionais de saúde devem estar cada vez mais  capacitados  para exercerem acções conjuntas que ajudem na promoção de estilos de vida mais saudáveis”.

Para Sílvia Lutucuta, que é especialista em Cardiologia, a mudança positiva no estilo de vida da população ajuda a diminuir as mortes por doenças cardiovasculares, onde as principais causas são a hipertensão arterial, diabetes, obesidade, sedentarismo, tabagismo, alcoolismo e consumo excessivo de sal.

Sobre o congresso, que decorre sob o lema “Cardiologia em Angola, Marcando Passos para a Excelência”, a ministra considerou-o um evento importante, por permitir a promoção de debate com elevado rigor científico e técnico sobre o estado da cardiologia no mundo e em Angola, no que toca à prevenção, avanços nos diagnósticos das doenças e novas terapêuticas cardiovasculares.

Sílvia Lutucuta frisou que é desejo do Ministério que a Sociedade Angolana de Cardiologia se mantenha sempre como um elemento de promoção de acções cada vez mais sustentadas em evidências científicas, para que possa ajudar o Sistema Nacional de Saúde a melhorar naquilo que têm sido as abordagens das doenças cardiovasculares em Angola.

No congresso, além de angolanos, participam  cardiologistas provenientes de Portugal, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e da Sociedade Panafricana de Cardiologia, de que Angola é membro.

Fonte: Jornal de Angola
Ver artigo em: https://www.jornaldeangola.ao/ao/noticias/mais-de-tres-mil-medicos-estao-a-ser-especializados/